Remisson Aniceto

Fotografía propiedad del autor

 
 
Esbozo biográfico
Remisson Aniceto nasceu em Nova Era, pequena e aconchegante cidade do interior de Minas, próxima à Itabira de Drummond. Desde muito cedo tomou  gosto pela leitura, incentivado pelo seu pai que não dispensava nem bula de remédio. Arredio como bicho do mato, escondia-se entre as árvores do quintal sempre que sua família recebia visitas. Ali, ficava lendo horas a fio. Começou a escrever aos oito anos e pouco depois lia alguns clássicos na biblioteca pública (não tinha condições de comprar livros). Dessa forma conheceu Machado, Cecília, Sabino, Quintana, Pessoa, Eça, Goethe, Rilke, Garcia Marquez... Seu namoro com a leitura e a escrita auxiliou muito na sua integração social. Sempre imaginou que algum dia atravessaria as montanhas para ver o Drummond - afinal, moravam bem próximos - mas, como ele já havia advertido bem antes, "tinha uma pedra no meio do caminho". Alguns anos depois, em 1987, o poeta viajou e nunca mais reapareceu. Mudou-se para São Paulo em 1979, à procura de trabalho.  Em 1983 o jornal A Gazeta Esportiva, de São Paulo, publicou um poema seu  e em 1984 e 1985 foi premiado nos Concursos de Contos e Poesias da CMTC (SP). Nos anos seguintes continuou escrevendo - principalmente poesia  - e em 2006 conseguiu o 2º lugar no Prêmio Cataratas, da Fundação Cultural de Foz do Iguaçu (PR), com a poesia "Transição" e uma menção honrosa no Prêmio Cidadão de Poesia, de Limeira, com o mesmo trabalho. Em seguida, outra menção honrosa com o soneto "Classificado", no Prêmio Filogônio Barbosa (ES). Sua poesia "Herança" também recebeu o prêmio de edição no Prêmio Valdeck Almeida de Jesus de Poesia 2007, cujo livro está no prelo. Suas resenhas no site www.leialivro.sp.gov.br são muito comentadas e lidas nas rádios da Rede USP (SP). Sempre que tal acontece, recebe livros à sua escolha. De 1982 até 2002 teve poesias suas divulgadas em  quatro coletâneas, ambas esgotadas. Alguns sites e jornais de pequenas tiragens já estão divulgando seu trabalho. Descoberto o caminho, agora é prosseguir.
 
 Livros: Todo dia é dia de poesia.  iG Editores, Stella Maris/Pão-de-Açúcar - SP - (2002). *Novos talentos da poesia brasileira.  Forever Editora - SP -  (1995). Palavras de Poetas, Physis Editora - SP -  (1997). Escrevo nos espaços que me restam. Editora Bauhaus - SP - (1982). Seus textos (poesias, contos, crônicas e resenhas) também podem ser lidos em sites especializados de literatura, como o Leia Livro, Garganta da Serpente, Recanto das Letras, Ecos da Poesia, Texto Livre, Blocos Online, Poetas del Mundo, etc.
 
Selección Poética

Antología poética

 

 
 

Copyrigh© todos los derechos reservados por el autor